EVA Anti-PID: conheça o encapsulante usado nos módulos da Komeco

Para saber se os painéis fotovoltaicos são de qualidade e eficientes é preciso checar uma série de requisitos a fim de garantir um sistema que realmente o ajude a obter um bom desempenho.

Então, para garantir que o painel está preparado para lidar com as diversas exposições externas sem comprometer a eficiência energética, é necessário que todos os componentes do módulo sejam de alta qualidade.

Por isso, a nossa parceira Komeco aposta em um encapsulante Anti-PID na composição de seus módulos.  

Mas afinal o que é o Anti-PID? Neste artigo te explicaremos.

EVA Anti-PID de última geração

O EVA (Ethylene Vinyl Acetate, ou Etileno Acetato de Vinila), é um material com polímero termoplástico com boa transmissão de radiação e baixa degradabilidade à luz solar, usado como filme isolante e de vedação ao redor das células solares. 

O EVA tem por objetivo impedir a entrada de ar e a permeabilidade de umidade. Este material também é capaz de ajudar na eficiência e produtividade dos módulos, entretanto, quando não utilizado da maneira correta ou sem a tecnologia necessária empregada, pode acarretar um efeito PID. 

Primeiramente, você precisa saber que o efeito PID, é muito comum em módulos mais antigos, onde o EVA ainda era propenso a propagar o efeito. 

O PID (Potential Induced Degradation – degradação induzida por potencial) é um efeito indesejado de degradação do módulo fotovoltaico que pode causar perdas significativas de potência ao longo do tempo.  

A Komeco utiliza como encapsulante um EVA Anti-PID de última geração. 

Mas por que o PID ocorre? 

O PID ocorre devido à diferença de tensão dos polos positivo e negativo em relação à tensão de aterramento, criando um caminho elétrico entre as falhas ou fissuras do encapsulante. Ou seja, o PID surge da polarização entre as células e os outros componentes do painel. 

Como consequência, ao passar do tempo essa corrente deixa uma carga na superfície do módulo que irá interferir no equilíbrio das cargas, funcionamento e rendimento do semicondutor.

A degradação varia conforme os materiais que são usados, por isso é tão importante que você escolha módulos de boa qualidade para o seu sistema.  

 Outro grande problema que pode ser criado pelo PID, é a redução de resistência shunt das células devido ao grande desvio de carga, que passa a percorrer as falhas abertas no encapsulante com direção ao aterramento. Essa migração de íons pode causar também corrosão nas células. Entenda o efeito PID na imagem abaixo:

Ións percorrendo o caminho aberto no encapsulante, formando o efeito PID.
Fonte: Danish Green Technology Inc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

conteúdos exclusivos sobre energia sustentável? Assine nossa news